segunda-feira, 27 de Agosto de 2007

Insuficiência Renal nos Gatos!

Félix, (siamês) com o filho Beethoven

Sábado levantei-me cedo, pouco tinha dormido. O Félix (siamês)o meu gato "gordão" ou o "paizão" como lhe chamamos, tinha passado mal a noite. Vomitou várias vezes e mostrava-se algo inquieto, nervoso, o contrário do que é normal, pois o Félix é um gato pachorrento e muito amigo de dormir.
Ia várias vezes à casa de banho e tinha espasmos! Levei-o logo de imediato ao veterinário e o diagnostico foi claro. Estava com uma crise renal. Teria de ser anestesiado e algaliado. Foi imediatamente internado e tratado. Fui buscá-lo logo que me deram ordens para o fazer. Está medicado e continua algaliado. Agora é ter paciência e esperar que ele consiga dar a volta ao problema. Está queixoso, mas continua a ser o mesmo gato pachorrento e meigo. Dorme a maior parte do tempo e vai fazendo queixinhas do seu mal a quem se chega perto. A insuficiência renal é um grave problema nos gatos castrados. Devem por isso ser alimentados, com rações que a industria alimentar produz, especificamente para estes casos.
Atenção: nunca devemos deixar de consultar o veterinário e desfazer com ele todas as dúvidas em relação a este caso.
Na Internet podemos encontrar vários sites com descrição detalhada sobre este assunto que nos podem informar e tirar certas dúvidas. Este é um de entre muitos.


""Gatos de qualquer raça, sexo ou idade podem ser afetados, entretanto, animais mais velhos desenvolvem a doença com maior freqüência. A insuficiência renal crônica em gatos ocorre por volta dos nove anos. Alguns tipos de afecção renal podem ser transmitidos geneticamente nas raças Abissínia e Persa. Todos os animais e seres humanos podem ser afetados pela insuficiência renal crônica.

Visão Geral

Como os rins são órgãos vitais para a sobrevivência, a insuficiência renal crônica pode comprometer imensamente a vida de um gato. Quando funcionam apropriadamente, os rins filtram os resíduos da corrente sanguínea, que serão excretados pela urina. Um gato com mal funcionamento renal pode beber quantidades cada vez maiores de água e urinar com maior freqüência na tentativa de retirar da corrente sanguínea os resíduos que os rins não têm mais capacidade de eliminar através da urina.

Eventualmente, os esforços do gato para compensar a própria insuficiência renal mostram se insuficientes. Com o agravamento da doença, podem ocorrer muitas complicações. Úlceras na boca e no estômago, anemia e infecções do trato urinário são conseqüências comuns em gatos portadores de insuficiência renal crônica. A pressão alta, que pode levar à cegueira, é uma das complicações mais graves. Geralmente, os gatos mais idosos têm insuficiência renal crônica e a doença tende a piorar com a idade.

Sintomas

Se um gato sofre de insuficiência renal crônica, seu proprietário poderá perceber sintomas típicos como cansaço, perda de apetite e perda de peso. Vômitos, diarréia, ingestão de água de lugares pouco habituais, aumento da quantidade de urina na caixa de areia, feridas na boca, mal hálito, fraqueza e facilidade para se cansar com qualquer atividade. Se o gato tem pressão alta, pode ocorrer perda de visão repentina.

Descrição

Os rins exercem várias funções de manutenção, vitais para o estado geral de saúde do gato. Eles filtram os resíduos para fora da corrente sanguínea e os excretam para a urina. Os rins também controlam os níveis de eletrólitos, de PH, e o estado de hidratação do gato. Além disto, os rins produzem hormônios essenciais como a eritropoietina, que estimula a medula óssea a produzir novos glóbulos vermelhos. Quando os rins começam a falhar, os sistemas orgânicos do gato começam a fazer ajustes em compensação. Por exemplo, o gato pode passar a beber mais água e a urinar com mais freqüência, numa tentativa de "se livrar" dos resíduos acumulados na corrente sanguínea e que deveriam ter sido eliminados pelos rins. Em algum momento, entretanto, o volume das disfunções vai avassalar o gato e ocorrerão sintomas mais sérios de insuficiência renal crônica. Na época em que os exames mostrarem alterações significativas que alertarem o veterinário para a presença de insuficiência renal, 75% do total do rim já devem ter parado de funcionar corretamente. A causa mais comum da insuficiência renal crônica é o processo normal de envelhecimento. A doença é progressiva e irreversível, ou seja, o prognóstico ou perspectiva de recuperação do gato é ruim. O tratamento, entretanto, pode trazer alívio de curto prazo aos sintomas e melhorar a vida do gato por algum tempo. Um gato com insuficiência renal crônica pode viver de algumas semanas a alguns anos com a doença, dependendo da gravidade e do estágio de evolução da doença.

Diagnóstico

O veterinário irá diagnosticar a insuficiência renal crônica após um exame completo e testes de laboratório, tais como hemograma completo, bioquímica do sangue e análise de urina. Outros exames que podem ser feitos incluem cultura da urina, radiografia, ultra-sonografia, e tomada da pressão sanguínea. Biópsias do rim, através de ultra-som ou cirurgia, podem fornecer informação adicional sobre a causa da insuficiência renal.

Tratamento

Gatos com insuficiência renal crônica muito grave necessitam de internação para tratamento com soro intravenoso, suporte nutricional e medicamentos. Manifestações menos graves da doença podem ser tratadas em casa com medicamentos e dieta apropriada. O veterinário pode recomendar determinados tipos de ração para gatos, que só estão disponíveis com prescrição médica que contém baixos níveis de proteínas, fósforo e sódio e devem, portanto, reduzir a sobrecarga sobre os rins. Outros medicamentos são indicados para controlar alguns sintomas da insuficiência renal, tais como, náusea, inapetência, desequilíbrio mineral e eletrolítico, deficiências hormonais e pressão sanguínea alta. É importante que haja água fresca todo o tempo ao alcance dos gatos afetados pela doença. O veterinário pode ensinar ao proprietário como administrar soro suplementar sob a pele, na chamada terapia líquida subcutânea. Este método é geralmente recomendado para animais com insuficiência renal crônica de moderada a grave. Recomenda-se a repetição de exames regularmente para monitorar a doença. O número de visitas ao médico veterinário irá variar de acordo com a gravidade da doença do gato e de sua resposta ao tratamento.

Prevenção

Gatos que sejam suspeitos de predisposição genética para o desenvolvimento de doença renal não devem ser cruzados. Gatos adultos e idosos devem ser monitorados para a detecção de sintomas anormais e devem receber atenção médica caso surjam sinais clínicos. ""

5 comentários:

Anónimo disse...

Meu gato FG aprox 1 ano., calmo/alegre/sadio,mostrou falta apetite e edemas em geral nos corpo(+ Patinhas/peito.
Fiz ex. sangue/ultrasom, Saque deu creatinina/ureia altas e alter. plaquetas.Os VET deram diagnóstico IRA. Foi internado no soro, diurético , comendo ração RENAL.
E NADA DE URINAR/desinchar!

Estou bem preocupada!
Ele vai se recuperar? @comeração p/ prob renis.sDSRD

Franky disse...

Olá Anónimo
Claro que o seu gato se vai recuperar, leva o seu tempo, e com o tratamento adequado vai ficar bom novamente.
O meu Félix recuperou a 100% e para além de ter recuperado a saúde está muito mais meigo, como que agradecido por ter sido ajudado numa altura em que ele estava muito aflito.
As melhoras para o seu gato FG!

Anónimo disse...

olá, meu gato macho esta com incontinencia urinária, apesar de não apresentar nenhum dos opatia ou falta de apetite. Será que a causa deste problema é insuficiencia renal, ou apenas uma infecção? qual setia a forma de tratar?

Anónimo disse...

Ora vivam
A minha gata Aurora, de 8 anos, de repente ficou triste, apática e a esconder-se. Depois começou com peladas e ficou a babar-se. Levei-a ao médico. Tinha uma infecção decorrente de insuficiência renal crónica. De facto sempre urinou imenso e bebia imensa água. Passou 10 dias a soro, a creatinina baixou para limites teoricamente geríveis com dieta severa (racções "renal") e, quando deixa, dou-lhe medicamentos: 1 para o coração, para activar a remoção de impurezas pela urina, outro para a uremia, outro ainda que não me lembro para que é (Pepsamar) e finalmente uma pasta multivitamínica. A água passou a ser a do Luso por não ter grandes resíduos minerais. Grande parte dos problemas com gatos e cães dão-se porque bebem a água comum das torneiras que está cheia de depósitos e adições. Agora é esperar para ver como se porta.
Experimentem disponibilizar uma tijela com chá de barba de milho (diurético)(não pode ter mais de dois dias, se não o princípio activo perde-se). Há os que gostam. Mas acima de tudo procure um bom veterinário. Qualquer erro e é a morte do artista.
Se o vosso gato gosta de "roubar" o leite que levam para a mesa de cabeceira ao deitar, aproveitem e em vez do leite coloquem o tal chá. São truques que costumam dar resultado.
Um abraço.
A.

Anónimo disse...

Meu gato Jango fez operação do rim pois estava com cálculos.Operou o direito, pois estava ainda funcionando, os veterinários pensam mais tarde operar o esquerdo que não funciona mais e tem cálculos. Não gosto da idéia , pois é uma cirurgia arriscada demais, ele se recupera agora e gostei muito das dicas que você deu p/ as pessoas. que faço me ajude a refletir , pois amo meu amigo jango demais e ele era saudável demais e começou a vomitar e do. foi ver deu nisso. abraços e muito grata.